Beato Eustáquio

Imagem17

BEATO EUSTÁQUIO

Missionário – Pastor – Homem de Deus

Pe. Eustáquio van Lieshout nasceu na Holanda, na aldeia de Aarle-Rixtel, aos 03 de novembro de 1890. Filho de uma família muito católica, bem cedo desejou ser padre, como Damião de Veuster, de quem havia lido a vida santa e sofrida, junto aos leprosos de Molokai.

Mas quis Deus que sua “Molokai” fosse aqui no Brasil.

Pe. Eustáquio foi um dos três primeiros padres dos Sagrados Corações enviados ao Brasil. Chegaram no Rio de Janeiro aos 12 de maio de 1925, onde ficaram por um mês, para tomar conhecimento da língua, e aguardando a decisão sobre seu destino nas terras brasileiras.

Seu primeiro campo pastoral foi Água Suja (hoje Romaria), no interior de Minas. Lá padre Eustáquio permaneceu por 10 anos.

Quando foi destinado a Poá, em S.Paulo, os seus paroquianos fizeram de tudo para impedir sua saída. Em Poá sua fama de santidade cresceu rapidamente, atraindo multidões de fiéis de todas as partes. E isto fez com que o Governo da Congregação o retirasse-o de lá. E teve que se esconder por algum tempo, em várias cidades.

Aos 07 de abril de 1942 foi enviado a Belo Horizonte para cuidar de uma Paróquia recém-criada: Paróquia São Domingos. A matriz provisória funcionava na capela Cristo Rei, Vila Celeste Império. Quando o povo o descobriu, começou novamente grande afluência de fiéis em busca de bênção e de cura.

Ele atendia a todos na medida em que não o impedisse de cuidar da paróquia. Era ordem do Bispo.

Aos 16 de maio de 1943 lançou a pedra fundamental da atual Igreja Matriz dos Sagrados Corações, em Belo Horizonte, por todos conhecida como Igreja do Pe. Eustáquio, no bairro Padre Eustáquio.

Mas, aos 30 de agosto do mesmo ano, veio a falecer, vitimado pelo tifo exantemático, causado por um carrapato infeccionado. Tinha apenas 53 anos de idade. Sua partida comoveu toda a cidade de Belo Horizonte, que até hoje o considera santo.

Imagem18

Túmulo no Cemitério do Bonfim

A Causa de sua Beatificação terminou com a grande solenidade da Festa de Corpus Christi, em Belo Horizonte, no dia 15 de junho de 2006. No Estádio “Mineirão” superlotado de fiéis e devotos, na chamada “Torcida de Deus”, o delegado do Papa, Cardeal Saraiva Martins declarava oficialmente Padre Eustáquio BEATO. Agora espera-se sua CANONIZAÇÃO.

Alguns momentos marcantes da Beatificação Imagem19

Dom Walmor e de Dom Serafim e o Cardeal Saraiva Martins

Imagem20

Presença especial: o padre aposentado Gonçalo Belém Rocha, de 82 anos, morador do bairro Floresta, região Leste de BH, curado de um câncer na garganta, em 1962, por intercessão de Padre Eustáquio.

O milagre, investigado durante meio século pela Santa Sé, levou o religioso à beatificação. “Sou muito sentimental: este momento é motivo de muita alegria”, limitou-se a dizer padre Belém, que entrou no gramado, seguindo a procissão formada pelo clero, e assistiu a tudo sentado.

Imagem21

Parentes de Padre Eustáquio

Imagem22

Padres da Congregação dos Sagrados Corações

MEMORIAL PADRE EUSTÁQUIO

BELO HORIZONTE

Durante a Novena em preparação da primeira Festa do Beato Padre Eustáquio, do ano de 2007, exatamente no dia 28 de agosto, foi inaugurado o Memorial construído em sua honra, ao lado da igreja de Padre Eustáquio – Paróquia dos Sagrados Corações – BH/MG.

Constou da inauguração: a Bênção do Memorial e a Trasladação de seus restos mortais, da igreja para aquele monumento, fruto do carinho de seus devotos, que continuam implorar ali sua intercessão ou agradecer as graças alcançadas.

Imagem23

Imagem24

Cerimônia do traslado dos restos mortais de Pe. Eustáquio, da Igreja para o Memorial, presidida por Dom Aloísio Pena Vitral (Bispo Auxiliar da Arquidiocese de BH)

A Paróquia Sagrados Corações, conhecida por todos como Paróquia do Padre Eustáquio, foi elevada a Santuário da Saúde e da Paz em 30 de agosto de 2014.